A castração possui uma série de vantagens:

1) Diminui drasticamente o risco de doenças, como infecção do útero (piometra) e,
principalmente, do câncer de mama, útero, próstata e testículos;

2) Elimina a Gravidez Psicológica, estado presente em algumas fêmeas após o término do cio, o
que ocasiona aumento e endurecimento das mamas (muitas vezes com edema e possível
cancer) com produção de leite e irritabilidade excessiva;

3) Elimina o risco do câncer causados por vírus transmissíveis por via venérea;

4) Diminui o risco das fugas e brigas, que podem acarretar acidentes graves e até fatais;

5) Acaba com os latidos, uivos e miados excessivos que ocorrem por ocasião do cio;

6) Elimina os estados de excitação por falta de cruzamento e o embaraço gerado com as visitas!;

7) Nas cadelas, elimina a inconveniente perda de sangue no período de cio, assim como as
desagradáveis reuniões de machos na porta de sua residência;

8) Diminui o hábito dos gatos de urinar em paredes e móveis para marcar território. A urina
também perde o odor forte e desagradável.

9) Diminui animais abandonados a própria sorte. Uma cadela não castrada pode gerar, em 6
anos, 64.000 descendentes e uma gata, em 7 anos, 420.000!! É uma progressão geométrica
absurda, e naturalmente não há lares para tantos animais.

Mitos e dúvidas

1) “Castração engorda?” Resp: O animal não engorda devido à castração e sim pela diminuição
de suas atividades físicas, necessitando, portanto, mais exercícios.

2) “Eu não posso pagar!” Resp: O custo da operação será amplamente compensado por futuros
custos com animal gestante e crias, com complicações no parto ou despesas com cirurgias e
medicamentos decorrentes de doenças em animais não castrados (ex. Piometra). Hoje, várias
clínicas realizam castrações a preços reduzidos ou facilitam o pagamento.

3) “Eu sempre arrumo para quem dar os filhotes” Resp: Nem sempre isso é verdadeiro, sendo
mais comum a atitude de querer se livrar de um problema. É sempre bom lembrar que uma fêmea
pode gerar dezenas de filhotes que, por sua vez, crescerão e terão outras crias, multiplicando o
problema. Para que deixar novos filhotes nascerem se não há lares suficientes para os que já
existem?

4) “Ele não tomará mais conta da casa.” Resp: Os animais castrados não perdem o instinto de
proteger seu território. Por outro lado, perde o indesejável costume de urinar em diversos cantos.
Cabe ainda lembrar que animais castrados ficarão mais caseiros, deixando de se envolver em
brigas na disputa de fêmeas.

5) “Mas ela precisa ter pelo menos uma cria…” Resp: Ter uma cria não acrescenta saúde ao
animal e sim mais animais ao problema. Pesquisas mostram que quanto mais cedo (aos 5-6 meses) for realizada a castração, menor as chances da fêmea em desenvolver câncer de mama e
piometra. Hoje, século XXI, está comprovado cientificamente que NÃO é preciso ter cria
para ser saudável.

6) “Meu animal vai sofrer?” Resp.: A cirurgia, feita sob anestesia geral, é indolor. Dentro de um
ou dois dias, o animal estará brincando e retomará suas atividades normais.

7) “Eu estarei interferindo na natureza do meu animal?” Resp.: Seu animal não tem escolha,
segue apenas o instinto. É dever do proprietário intervir e prevenir nascimentos indesejados,
agindo da maneira mais correta. Castrar seu animal é um ato de amor que evita crias indesejadas
e doenças que podem ser fatais.

Posse responsável

Ser responsável é: cuidar de seu animal, dando-lhe atenção, carinho e ambiente adequado para
viver. A posse responsável de animais envolve as seguintes atitudes:

I – Higiene e prevenção de doenças: É responsabilidade de cada um colaborar para uma cidade
limpa e livre de doenças. Isso inclui recolher as fezes.

II – Condução segura e adequada: Ao levar seu animal para passear, conduza-o com coleira e
guia. Os cães de comportamento agressivo devem também utilizar a focinheira. Coloque uma
placa de identificação na coleira para que ele possa ser devolvido em caso de fuga ou perda.

III – Proteção e cuidados
• Não deixe seu cão solto na rua. Ele pode ser atropelado, causar acidentes ou ser atacado por
outro animal. Esteja ciente de que se ele atacar pessoas ou outros animais, você
responderá por isso.
• Castrar o animal é importante para controlar crias indesejadas e evitar animais abandonados
nas ruas, além de prevenir doenças como infecções e tumores.
• Os cuidados com a saúde de seu animal devem incluir: vacinas contra várias doenças,
anualmente, e não somente contra a raiva; vermífugos a cada 6 meses; boa
alimentação e água; abrigo de sol e da chuva; banhos e, principalmente,… muito amor.
• Ao invés de comprar um animal, opte por adotar nos abrigos ou feiras de adoção.
• Ser preconceituoso ao escolher um animal (cor e raça) só aumenta o número de cães e gatos
abandonados. Tenha um bom coração e dê uma chance ao animal que não tem escolha.
• Pense bem antes de optar em ter um animal. Ele permanecerá sob sua guarda durante muitos
anos e sua saúde e bem estar dependerá de você.
• Antes de presentear alguém com um animal, verifique se a pessoa (e a família) está preparada
para recebê-lo.
• Dedique um tempo ao seu animal de estimação todos os dias. Faz bem para a saúde dele, faz
bem para a sua saúde.

Meu vizinho maltrata os animais dele. Posso fazer uma denúncia?

LIGUE IMEDIATAMENTE NO 156. Dê o endereço e explique exatamente qual é o ato que
configura maus tratos. Briga de vizinho não vale! Tentar conversar com a pessoa, fotografar,
filmar o animal, fazer um relatório e um BO na polícia, anexar tudo e entregar a um delegado
de polícia.

Maus tratos estão descritos na lei federal 9506/98, com pena de detenção de três
meses a um ano a quem desobedecer.

Dra Ingrid Menz CRMV-SP 1569